Grupo Lógica de Programação
ESTAMOS EM CONSTRUÇÃO - DESENVOLVIMENTO


Seja Bem Vindo ao Forum Grupo Lógica de Programação é uma satisfação recebê-los aqui.. espero que gostem desse espaço que foi feito para todos nós PROGRAMADORES.. Então venha fazer Parte deste Time tambem.. Saiba que este Forum foi feito com muita dedicação para o bem estar de todos vocês.. Então Registre-se e Decole no Mundo da Programação.....
Ao se Registrar você tem direito a participar do CHAT que só é visivel ao membros registrados. e pode bater papo com algum outro membro que estiver on line.. caso tenha alguma duvida pode olhar no Menu FAQ as perguntas mais recentes.
Bons Estudos é o que deseja todos nós que fazemos o GRUPO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO acontecer...

(EL MENSAJERO [FUNDADOR])

Conheça um Pouco Sobre Software Livre

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Conheça um Pouco Sobre Software Livre

Mensagem por Sergio Lucas em Ter 07 Set 2010, 12:32

Software livre, segundo a definição criada pela Free Software Foundation é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído sem restrições. O conceito de livre se opõe ao conceito de software restritivo (software proprietário), mas não ao software que é vendido almejando lucro (software comercial). A maneira usual de distribuição de software livre é anexar a este uma licença de software livre, e tornar o código fonte do programa disponível.

Definição

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
O logotipo da Free Software Foundation.

Um software é considerado como livre quando atende aos quatro tipos de liberdade para os usuários do software definidas pela Free Software Foundation:

A liberdade para executar o programa, para qualquer propósito (liberdade n.º 0);
A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade n.º 1). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade;
A liberdade de redistribuir, inclusive vender, cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade n.º 2);
A liberdade de modificar o programa, e liberar estas modificações, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade n.º 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade;
A liberdade de executar o programa significa a liberdade para qualquer tipo de pessoa física ou jurídica utilizar o software em quantas máquinas quiser, em qualquer tipo de sistema computacional, para qualquer tipo de trabalho ou atividade, sem nenhuma restrição imposta pelo fornecedor.

A liberdade de redistribuir o programa compilado, isto é em formato binário, necessariamente inclui a obrigatoriedade de disponibilizar seus códigos-fonte. Caso o software venha a ser modificado e o autor da modificação queira distribuí-lo, gratuitamente ou não, será também obrigatória a distribuição do código fonte das modificações, desde que elas venham a integrar o programa. Não é necessária a autorização do autor ou do distribuidor do software para que ele possa ser redistribuído, já que as licenças de software livre assim o permitem.

Para que seja possível estudar ou modificar o software (para uso particular ou para distribuir) é necessário ter acesso ao código-fonte. Por isso a disponibilidade desses arquivos é pré-requisito para a liberdade do software. Cada licença determina como será feito o fornecimento do código fonte para distribuições típicas, como é o caso de distribuições em mídia portátil somente com os códigos binários já finalizados (sem o fonte). No caso da licença GPL, a fonte deve ser disponibilizada em local de onde possa ser acessado, ou deve ser entregue ao usuário, se solicitado, sem custos adicionais (exceto transporte e mídia).

Para que essas liberdades sejam reais, elas devem ser irrevogáveis. Caso o desenvolvedor do software tenha o poder de revogar a licença, o software não é livre.

A maioria dos softwares livres é licenciada através de uma licença de software livre, como a GNU GPL, a mais conhecida.

Software Livre e Software em Domínio Público
Software livre é diferente de software em domínio público. O primeiro, quando utilizado em combinação com licenças típicas (como as licenças GPL e BSD), garante a autoria do desenvolvedor ou organização. O segundo caso acontece quando se passam os anos previsto nas leis de cada país de proteção dos direitos do autor e este se torna bem comum. Ainda assim, um software em domínio público pode ser considerado como um software livre.

Software Livre e Copyleft
Licenças como a GPL contêm um conceito adicional, conhecido como Copyleft, que se baseia na propagação dos direitos. Um software livre sem copyleft pode ser tornado não-livre por um usuário, caso assim o deseje. Já um software livre protegido por uma licença que ofereça copyleft, se distribuído, deverá ser sob a mesma licença, ou seja, repassando os direitos.

Associando os conceitos de copyleft e software livre, programas e serviços derivados de um código livre devem obrigatoriamente permanecer com uma licença livre (os detalhes de quais programas, quais serviços e quais licenças são definidos pela licença original do programa). O usuário, porém, permanece com a possibilidade de não distribuir o programa e manter as modificações ou serviços utilizados para si próprio.

Venda de Software Livre
As licenças de software livre permitem que eles sejam vendidos, mas estes em sua grande maioria estão disponíveis gratuitamente. É aquele velho ditado.. O Que recebeste de Graça.. dás de Graça..

Uma vez que o comprador do software livre tem direito às quatro liberdades listadas, ele poderia redistribuir este software gratuitamente ou mediante remuneração. As versões pagas geralmente são acompanhadas de algum tipo de serviço adicional, como direito a assistência técnica por determinado período e manuais, por exemplo. Muitas vezes comprar o software é mais vantajoso para o cliente final que não tem muita experiência em programação, poupando tempo.

MOVIMENTO SOFTWARE LIVRE


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Motivação

Os desenvolvedores de software na década de 70 frequentemente compartilhavam seus programas de uma maneira similar aos princípios do software livre. No final da mesma década, as empresas começaram a impor restrições aos usuários com o uso de contratos de licença de software. Em 1983, Richard Stallman iniciou o projeto GNU, e em outubro de 1985 fundou a Free Software Foundation (FSF). Stallman introduziu os conceitos de software livre e copyleft, os quais foram especificamente desenvolvidos para garantir que a liberdade dos usuários fosse preservada.

Ideologia: as diferenças entre Software Livre e Código Aberto
Muitos defensores do software livre argumentam que a liberdade é valiosa não só do ponto de vista técnico, mas também sob a ótica da moral e ética. É neste aspecto que o movimento de software livre (encabeçado pela FSF) se distingue do movimento de código aberto (encabeçado pela OSI), que enfatiza a superioridade técnica em relação a software proprietário, ao menos em potencial.

Os defensores do código aberto (também conhecido como open source em inglês) argumentam a respeito das virtudes pragmáticas do software livre ao invés das questões morais. A discordância básica dos movimentos está no discurso. Enquanto o foco do movimento encabeçado pela FSF chama a atenção para valores morais, éticos, direitos e liberdade, o movimento encabeçado pela OSI defende um discurso mais agradável às empresas. Com isso, o movimento de software livre condena o uso e desenvolvimento de software proprietário, enquanto o movimento de código aberto é conivente com o desenvolvimento de software proprietário.

As definições oficiais de software livre e de código aberto são as mesmas, porém escritas de formas distintas. A OSI define o código aberto usando a definição Debian de software livre, que é apenas um detalhamento das 4 liberdades da FSF. Desta forma todo software de código aberto é também um software livre.

O movimento software livre não costuma tomar uma posição sobre trabalhos que não sejam softwares e suas respectivas documentações, mas alguns defensores do software livre acreditam que outros trabalhos que servem a um propósito prático também devem ser livres (veja Free content).

Para o Movimento do software livre, que é um movimento social, não é ético aprisionar conhecimento científico, que deve estar sempre disponível, para assim permitir a evolução da humanidade. Já o movimento pelo Código Aberto, que é um movimento mais voltado ao mercado, prega que o software desse tipo traz diversas vantagens técnicas e econômicas. O segundo surgiu para levar as empresas a adotarem o modelo de desenvolvimento de software livre.

Como a diferença entre os movimentos "Software Livre" e "Código Aberto" está apenas na argumentação em prol dos mesmos softwares, é comum que esses grupos se unam em diversas situações ou que sejam citados de uma forma agregadora através da sigla "FLOSS" (Free/Libre and Open Source Software).

Movimentos Relacionados
Inspirados na GPL e nas propostas do movimento do software livre, foi criado um repositório de licenças públicas, chamado Creative Commons, cujos termos se aplicam a variados trabalhos criativos, como criações artísticas colaborativas, textos e software. Entretanto a maioria destas licenças não são reconhecidas como realmente livres pela FSF e pelo movimento de software livre.

O software livre está inserido num contexto mais amplo onde a informação (de todos os tipos, não apenas software) é considerada um legado da humanidade e deve ser livre (visão esta que se choca diretamente ao conceito tradicional de propriedade intelectual). Coerentemente, muitas das pessoas que contribuem para os movimentos de Conhecimento Aberto — movimento do software livre, sites Wiki, Creative Commons, etc. — fazem parte da comunidade científica.

Cientistas estão acostumados a trabalhar com processos de revisão mútua (ou por pares) e o conteúdo desenvolvido é agregado ao conhecimento científico global. Embora existam casos onde se aplicam as patentes de produtos relacionados ao trabalho científico, a ciência pura, em geral, é livre.

Software Freedom Day
No dia 20 de setembro comemora-se o Dia da Liberdade do Software (Software Freedom Day) com eventos envolvendo as comunidades de usuários e desenvolvedores de software livre em todo o mundo.. Porém este ano é comemorado dia 18 de Setembro.

Softwares Livres notáveis
Abaixo está uma lista com os softwares livres mais conhecidos e usados:

Sistemas operacionais: GNU/Hurd, GNU/Linux, BSDs, OpenSolaris.
Ferramentas de desenvolvimento:
Compilador C: GCC.
Compilador Pascal: Free Pascal.
Debugger GDB.
Biblioteca padrão da linguagem: C.
Editor de texto avançado: Emacs.
Desenvolvimento em Flash e ActionScript: SWFTools
Plataforma de desenvolvimento: Eclipse (programação em Java e PHP) e NetBeans (Programação em C, C++, Java, Python, UML e outras).
Linguagens de programação: Python,Java, Perl, PHP, Lua, Ruby, Gambas e Tcl.
Servidores:
Servidor de nomes: BIND.
Agente de transporte de mensagens (e-mail):Postfix sendmail.
Servidor web: Apache.
Servidor de arquivos: Samba.
Servidor e cliente de email: Evolution.
Servidor de aplicações: Zope e Apache Tomcat.
Bancos de dados relacionais: MySQL, Postgres.
Programas de interação gráfica: GNOME, KDE e Xorg.
Aplicativos:
Navegadores Web: Firefox,Konqueror.
Pacote de escritório: OpenOffice.org.
Processadores de texto: OpenOffice.org Writer, KWord e AbiWord.
Editor de apresentação multimédia: OpenOffice.org Impress e KPresenter
Planilha eletrônica: OpenOffice.org Calc, KSpread e GNumeric
Sistema de gerenciamento de banco de dados: OpenOffice.org Base, Glom e Kexi
CAD, (computer aided design) QCad.
Desenho vetorial: Inkscape, Sodipodi e OpenOffice.org Draw.
Editoração eletrônica: Scribus e OpenOffice.org Draw.
Editor de imagens: Gimp.
Editor web: Aptana.
EaD, Educação a distância: Moodle
Gerenciador de Conteúdo (CMS): Opencms, Drupal, Plone, WordPress (CMS muito usado em blogs)e Joomla.
Modelagem Tridimensional Blender3d, Wings3d
Renderização (imagem estática): Yafray, POV-Ray,LuxRender.
Acessibilidade: Virtual Magnifying Glass.
Edição de áudio: Audacity, Ardour
Edição de partituras e sequenciamento MIDI: Rosegarden
Publicação na Internet: SPIP
Players multimédia: VLC e Mplayer.
Sistema matemático : Scilabe Maxima.
Sistemas de editoração: TeX, LaTeX e MiKTeX
Sistema wiki: MediaWiki (sistema de wiki da Wikipedia).
Telefonia: Asterisk.
Composição de video : Cinelerra, Kdenlive, Kino
Educacional: Gcompris [multidisciplinar], Tuxpaint, Tuxmath, etc.
Assinatura eletrônica (ou digital): ittru
Veja listas maiores no diretório da Fundação do Software Livre e em diversos outros sites de projetos na Internet.


FONTE.: WIKIPEDIA

Bem agora você já está um pouco por dentro desse movimento, nós que fazemos programação fazemos parte deste movimento tambem.. cabe a você escolher se continuará apoiando este movimento tambem... mas como? na hora de desenvolver um aplicativo livre tambem exercer o bom senso em compartilhar com outras pessoas a forma de construção de seu Aplicativo ou Seja compartilhar o Código Fonte... Então é isso ai pessoal até o Proximo artigo.
avatar
Sergio Lucas
Admin
Admin

Mensagens : 80
Pontos : 308
Reputação : 20
Data de inscrição : 30/06/2010
Idade : 30
Localização : Pernambuco

http://grupologica.forumslog.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum